Pular para o conteúdo principal

A história das cadeiras do Jardin du Luxembourg

Desde o século XVIII cadeiras foram colocadas à disposição dos visitantes no Jardin du Luxembourg, um dos parques mais belos da capital. Muito mais práticas e conviviais do que os bancos, podendo ser deslocadas facilmente do sol à sombra, elas fazem parte do patrimonio cultural da cidade. Porém, este conforto suplementar nem sempre foi gratuito e uma pausa numa das cadeiras em 1843 custava 10 centavos !

As "chaisières" eram encarregadas de recolher o dinheiro do aluguel das cadeiras nos parques públicos
"Chaisières" no Jardin du Luxembourg nos anos 1900

Tão emblemáticas quanto as Colonnes Morris ou as Fontaines Wallace, as cadeiras dos jardins públicos fazem parte do patrimônio cultural parisiense

As famosas cadeiras verdes, criadas especialmente para o Luxembourg, foram colocadas à disposição da população em 1923 em três modelos: cadeiras, poltronas e as inigualáveis poltronas inclinadas. Nos anos 1960, a taxa era de 20 centavos por cadeira, 40 centavos por poltrona e 60 centavos pela poltrona inclinada. Sendo mais caras, somente as pessoas mais afortunadas podiam pagar pelas poltronas inclinadas. Quem frequentou os jardim até o inicio dos anos 1970 se lembra das chaisières, uma profissão que se perdeu no tempo. Eram as mulheres encarregadas de recolher o dinheiro das pessoas que se sentavam nas cadeiras. Estas taxas foram abolidas em 1974.

Destinadas inicialmente para o Luxembourg, hoje os mesmos modelos de cadeiras também estão à disposição do público no Jardin des Tuileries e no delicioso Palais Royal.

Começo de primavera no Jardin du Luxembourg © Laura Próspero
Começo de primavera no Jardin du Luxembourg

Homem lendo no Luxembourg, Paris © Laura Próspero
A leitura é uma atividade prazerosa em qualquer idade

Tomando sol no Luxembourg, Paris © Laura Próspero
Parques públicos também são lugares para tomar um pouco de sol

"A arte é uma questão. O design deve ser uma resposta." Bernard Reybier

A Fermob é uma referência em móveis de exterior. Bernard Reybier, presidente da empresa, apostou no design francês e na exportação para transformar um pequeno atelier de moveis de jardim com 9 funcionários em uma empresa de sucesso - em  2017 seu volume de negócios ultrapassou os 62 milhões de euros - em grande parte graças às coleções Bistro e Luxembourg. Com inovação e criatividade a empresa conquistou o mercado internacional. Fabricados em alumínio e com cores vivas, os emblemáticos modelos ganharam leveza e modernidade e hoje são encontrados em varias partes do mundo.

chaise bistrot, Times Square © Fermob
Coleção Bistro, Times Square © Fermob
 
Gama Luxembourg, zoo Artis à Amsterdam © Fermob
Coleção Luxembourg, zoo Artis à Amsterdam © Fermob

Em Paris a Fermob possui vários pontos de venda e duas lojas próprias, todas as informações aqui.

Comentários

  1. Sempre bom saber sobre a história de lugares, passamos a dar mais importância aos detalhes.


    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sugestões e comentários são bem-vindos !